Um cotovelo que nunca deixou de doer

AINDA ESTOU PRA VER QUEM NUNCA PERDEU O CHÃO POR AMOR. Assim como ainda não vi alguém cantar o sentimento de estar no fundo do poço com tanta propriedade como o gaúcho Lupicínio Rodrigues (1914 - 1974), homenageado do 6º e último episódio da 1ª temporada de Lala Laiá.

Profundo observador da vida, principalmente dos amores desfeitos, Lupe foi o inventor do termo dor-de-cotovelo. Tema obrigatório em seus sambas-canção, conhecidos também como ‘samba de meio do ano’ por serem lançados fora da época do Carnaval, sua obra é a trilha sonora perfeita para aqueles que, acompanhados de um uísque duplo, cravam os cotovelos em um balcão de bar e lamentam a perda da pessoa amada.

Lupicínio interpreta ‘Nervos de Aço’ e conta como surgiu a inspiração para compor a canção no Programa Ensaio da TV Cultura, em 1972.

QUASE SEMPRE AUTOBIOGRÁFICAS, suas letras relacionavam a desgraça sentimental à mulher e foram interpretados por grandes nomes da nossa música como Caetano Veloso, Elza Soares, Elis Regina, Jamelão, Orlando Silva, Zizi Possi, Adriana Calcanhotto, Arrigo Barnabé, Maria Bethânia, Arnaldo Antunes e muitos outros.

Em sua poesia, traição e o amor andavam sempre juntos, em métricas e nuances bem particulares. Já a parte melódica de suas composições dispensava qualquer bagagem teórica. O autor não tocava instrumentos, apenas fazia sons com uma caixa de fósforos e assobios. Lupicínio costumava dizer que não era músico ou compositor, apenas ‘um boêmio profissional’.

Elis Regina interpreta ‘Cadeira vazia’ de Lupicínio Rodrigues e Alcides Gonçalves na temporada de um mês que realizou em 1973 no Teatro Maria Della Costa.

O SUCESSO VEIO EM 1938, COM ‘SE ACASO VOCÊ CHEGASSE’, que revelou também a voz de Ciro Monteiro. Com o rei da voz, Francisco Alves, um dos seus principais intérpretes, o público pode afogar o coração entre 1947 e 1950 nas hoje clássicas  ‘Nervos de aço’, ‘Esses moços’, ‘Quem há de dizer’ e ‘Cadeira vazia’. Já o cantor Orlando Silva ficou com, nada mais nada menos, que as canções ‘Brasa’ e ‘Zé Ponte’.

No início da década de 1950 a obra de Lupe ganhou uma grande voz feminina. A paulista Linda Batista estourou com o samba-canção "Vingança", talvez o maior sucesso do compositor. Com tamanha projeção em todo o Brasil, em 1952 veio o primeiro álbum como cantor: "Roteiro de um boêmio". Em 1959, gremista convicto, compôs o hino oficial do Grêmio, até hoje cantado nos estádios.

O 78 rpm de 1952 marca a estreia de Lupicinio cantando as próprias músicas. Não teria como pensar em um título melhor pro álbum.

PARA HOMENAGEAR ESSE GRANDE COMPOSITOR, escolhi a bomba ‘Se Acaso você chegasse’. A música, que marca a estreia do autor em 1938 na voz de Ciro Monteiro, foi imortalizada 19 anos depois, na voz de Elza Soares, e me chocou logo que ouvi os scats vocais, os breques e aquele arranjo poderoso para big band.

A letra desse grande samba refere-se ao episódio em que Lupicínio conta ao amigo Heitor de Barros, compositor gaúcho, que estava tendo um caso com a ex-namorada do amigo. Para se desculpar, já que não conseguia encará-lo, Lupe compôs o que viria a se tornar um de seus maiores sucessos.

Para essa nossa releitura, chamamos dois grandes músicos: François Lima (trombone) e Jessé Passos (guitarra). O arranjo tá lindo e como não poderia deixar de ser, suíngue puro. A estreia é na quarta, 06/04. E esse é o nosso último episódio. Vai perder?

Elza Soares se tornou popular com a música ‘Se Acaso Você Chegasse’ misturando jazz ao samba, Louis Armstrong à Lupicínio Rodrigues.